Blog

Declaração de San Martin

Declaração de San Martin

No passado dia 18 de março de 2018 a Associação de Peregrinos Via Lusitana, a Associação Espaço Jacobeus, a Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos, a Associação Villa Valeriani - Associação de Peregrinos e a Confraria dos Caminhos (Castelo Branco) promoveram mais um Encontro de Associações Jacobeias Portuguesas em Santiago de Compostela. Tendo, como ponto de partida, que:

- o Caminho Português de Santiago está em significativo crescimento sendo, de forma destacada, o segundo Caminho (em número de Peregrinos) de todos os itinerários de Peregrinação ao Túmulo do Apóstolo Santiago reconhecidos;

- o crescimento do Caminho Português de Santiago deve-se, principalmente, às várias entidades (associativas, privadas e/ou públicas) e a todos os voluntários que, diariamente, informam, preparam, dinamizam ações de promoção, dão confiança, motivam e acolhem Peregrinos e futuros Peregrinos.

As Associações Jacobeias signatárias (entidades sem fins lucrativos constituídas por associados voluntários) têm constatado, contudo, que o presente estado atual do Caminho Português de Santiago tem sido pautado:

- pela existência de inúmeras iniciativas e/ou entidades públicas no Caminho Português de Santiago em (quase) total descoordenação entre si. Esta descoordenação entre os diversos atores (especialmente os públicos) têm conduzido a um desperdício de esforços e recursos, resultando num ineficaz investimento do "dinheiro público". São disso exemplos a produção de folhetos informativos desatualizados e/ou a utilização do "Caminho de Santiago" para financiar publicações ou eventos turísticos/culturais locais normalmente existentes nas programações anuais ao nível municipal, mas sem reflexo efetivo no Caminho Português de Santiago;

- que o feedback que constantemente recebemos de inúmeros Peregrinos é demonstrador que os planos de ação de "promoção" dos itinerários portugueses de Peregrinação não têm estado focados nos reais interesses destes nem no fomento dos valores associados à Peregrinação Jacobeia. Por outro lado, as referidas ações "promocionais" também não têm visado o apoio às estruturas e/ou entidades (Albergues de Peregrinos e outro tipo de infraestruturas de apoio direto aos Peregrinos) que são as que realmente tornam possível, 365 dias por ano, o Caminho Português de Santiago;

- que são, ainda, existentes vários locais (grande parte deles já identificados) onde a Peregrinação não é segura, sendo residuais as intervenções no espaço público para melhoria da segurança, tanto rodoviária como pessoal;

- que o trabalho efetuado pelas Associações Jacobeias Portuguesas, por iniciativa e investimento próprio, não tem sido valorizado e/ou apoiado (como é claro exemplo o processo de inclusão dos "Caminhos Portugueses de Peregrinação a Santiago de Compostela" na Lista Indicativa da UNESCO a Património Mundial), tendo-se constatado, até, (significativo) investimento público em ações a montante do atual estado do conhecimento e/ou dos projetos já em curso.

Em face do atual estado do Caminho Português de Santiago, acima descrito, as Associações Jacobeias supra identificadas solicitam:

- que a definição dos planos de ação não despreze todo o know-how do Associativismo Jacobeu nacional, que inclui os únicos atores que informam, preparam, motivam, acolhem, e ouvem, de forma altruísta e diária, os Peregrinos e a Comunidade Local onde se inserem;

- que os investimentos públicos (financiados, ou não, por fundos comunitários) sejam efetuados em ações eficazes de promoção do Caminho Português de Santiago, centradas no superior interesse do Peregrino (e dos valores inerentes à Peregrinação Jacobeia) em parceria com as entidades e/ou estruturas que, realmente, tornam possível (365 dias por ano) o crescimento do Caminho Português de Santiago;

- que não seja esquecido que são as Associações que estão inseridas em distintos canais de comunicação, nacionais e internacionais (nomeadamente em redes sociais) que permitem potenciar a divulgação e a eficácia das ações de promoção e de melhoria a implementar;

- que sejam potenciadas as atuais sinergias entre os distintos agentes associados ao Caminho Português de Santiago de forma a implementar ações que tornem mais segura (tanto rodoviária como pessoal) a Peregrinação a Compostela pelo Caminho Português de Santiago.    

Que tenhamos todos um Bom Caminho!

Santiago de Compostela, 18 de março de 2018

 

Associação de Peregrinos Via Lusitana

Associação Espaço Jacobeus

Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos

Associação Villa Valeriani - Associação de Peregrinos

Confraria dos Caminhos (Castelo Branco)


×